Koningsdag: a maior festa holandesa

Programação, dicas e muitos detalhes sobre o dia do Rei!

A mudança do trono holandês

Porque e todos os detalhes da cerimônia que aconteceu em 2013.

Anfiteatros romanos: visite também os que estão fora da Itália

O Anfiteatro de Pula, na Croácia e outros Anfiteatros do mundo.

O Revellion dos Chilenos

Conheça o revellion mais carnavalesco que já tivemos!

quarta-feira, 26 de março de 2014

5 motivos para você revelar suas fotos

Ano passado eu recebi um email muito simpático da Beatriz, do Digipix, me convidando para testar um produto deles. Ela me pediu que, caso eu gostasse do produto, se eu poderia recomendá-lo no blog.
Como minha experiência foi ótima, e eu adorei o resultado, parei para pensar no quão importante é ter as fotos reveladas também. E aí, veio em mente: "nossa, quanto tempo faz que eu não revelo fotos?". Confesso que ri de mim mesma.
Sou daquelas que gosta de uma modernidade, mas prefere ler o livro de papel. Sou daquelas que gosta de escrever no word e bloco de notas do pc, mas prefere ter um caderno dentro da bolsa.
Tudo bem que isso não me faz uma pessoa tão sustentável assim, mas já que nesse ponto eu falho, eu procuro compensar em outros pontos, como imprimir menos, separar o lixo, usar menos água, e etc - e vocês, o que você faz para mudar o mundo?
Bom, com fotos, sempre bate aquele medinho de perdê-las. Eu tenho fotos salvas no PC, nos HD`s e tenho fotos nos cartões de memória da câmera que foram tiradas a uns 5 anos atrás. Tá bom, eu confesso, sou neurótica.
Bem, pensando nessa minha "neura", resolvi fazer uma brincadeira e pontuar 5 razões para você manter suas fotos organizadas e revela-las. Vamos a elas?!
Fotolivro que fiz das mini férias que tive em Dezembro 2013. A qualidade da impressão é excelente.

1- Ok, alguns nesse ponto vão criar um milhão de empecilhos, porque muitos vão dizer a famosa frase: "mas eu não tenho tempo para isso". Eu não sou a melhor pessoa para dar dicas de administração de tempo, mas acredito que quando a gente quer, a gente arranja. Quando for fazer o download das fotos, sempre nomeei a pasta com palavras chaves + data. Se sua viagem ou evento foram vários dias, separe as fotos por dia, e coloque as palavras chaves de cada dia. Quando eu era nova e tirava poucas fotos (a.k.a tinha muuuuuuito tempo disponível), eu nomeava cada foto com uma palavra chave. Hoje eu nunca faço isso (pelo amor, né? Muito trabalho), mas nomeando as pastas facilita na busca das fotos para revelar, ou para ilustrar um post, ou para mostrar aos amigos. Algumas câmeras, quando você faz o download ela já nomeia a pasta com a data. Porém, não dê uma de preguiçoso, renomeei o nome da pasta colocando algumas palavras chaves também. Vai por mim... no futuro você vai me agradecer por essa dica;

2 - Revelar significa se divertir novamente, sabe porque? Você vai ter que parar para rever as fotos todas novamente, e isso por si só já é uma grande diversão (pelo menos para mim), selecionar as principais e mandar para revelação. Caso contrário, toda vez que você for mostrar suas fotos para alguém, acaba sendo cansativo, pela quantidade de fotos armazenadas;

3 - Eu sou praticamente uma catadora de papel nas minhas viagens. Junto tudo: guardanapo de alguma refeição especial, ingressos, mapinhas, etc. Sério. Meu pensamento é: vou guardar isso, porque quando eu fizer meu livro, vai ser uma coisa diferente para colocar. Isso porque eu adoro montar o livro personalizado. Como? Eu compro um fichário, ou um álbum onde eu possa colar coisas além de colocar as fotos, e faço feio um scrapbook. Além de ter as fotos, tenho pequenas lembranças dos lugares que passei. Também não me acho a pessoa mais sustentável do mundo por isso, mas quero poder contar a minha história dessa forma. É como se eu tivesse escrevendo um livro, sabe? O livro da minha história, das minhas viagens, dos meus momentos;

4 - Para os que não tem a mesma paciência que eu, dá para fazer um livro como esse, o fotolivro. É tão simples. É só você baixar o programa e ir montando o seu livro com as suas fotos. Depois é só salvar o seu livro e fazer um download no site deles. Tem um programa online também, mas é mais simples, com menos recursos. Eu adorei a experiência também, e o resultado ficou lindo;

5 - Como eu falei acima, as fotos podem ser uma excelente lembrança para as pessoas que você gosta. Um fotolivro, um imã, ou cartão, um calendário, etc. Com certeza serão uma recordação ótima, que eles vão guardar para sempre.

Lembrar dos momentos é tão gostoso... Tenho tantas fotos que, quando eu não revelo, fico com preguiça de rever tudo no computador. Já os álbuns não, eu sempre pego, fico passando as páginas, lembrando dos momentos e desejando viver mais momentos como aqueles.

Então fica a dica: revelar fotos é recordar!

Fica a dica:
Fotoregistro
O preço dos livros com 20 páginas começam a partir de R$39,90. Você faz o download do programa, monta o seu fotolivro, e depois faz o upload no site. Após o pagamento, você recebe uma confirmação no seu email e uma previsão de quantos dias você receberá o seu fotolivro. O meu teve um agravante, e demorou bastante, porque os Correios estavam em greve.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Museus em Amsterdam: quantos e quais visitar. 6 dicas para solucionar o dilema entre qualidade x quantidade

Uma vez, em um papo com grandes amigas, surgiu um mini debate sobre a definição de conhecer x visitar os lugares. Um das minhas amigas tinha feito um mini tour por cidades europeias como Berlim, Viena, Zurique, Paris e Barcelona. Até aí tudo ok. A discussão toda foi em torno do tempo que ela levou para fazer todo esse trajeto (10 dias!!) e o fato dela afirmar que conheceu bem todos os lugares. 
Bem, vamos ao meu ponto de vista. Iniciemos com o meu entendimento sobre a diferença entre conhecer e visitar. O primeiro, significa explorar, frequentar lugares que os locais frequentam, ir também nos pontos turísticos, ler sobre a cultura local e entrar nos lugares que transbordam essa cultura, não só passar na frente dos principais pontos turísticos e tirar uma foto. Para conhecer o básico, obviamente requer um tempo mínimo de estadia na cidade. Digamos que de três dias (isso vai variar muito, mas é uma média).
Já visitar é, em resumo, dar uma breve passada em algum lugar, tirar algumas fotos, só para dizer que esteve ali, e postar no instagram.
No meu conceito, minha amiga não chegou nem a visitar. Ela "passou" por alguns lugares e tirou algumas fotos e se convenceu de que conheceu (Pasmem: ela afirmou que conheceu Berlim em um dia pedalando pela cidade!). 

É fato que Amsterdam é uma das cidades da Europa com mais museus / programas culturais. Tanto para os amantes de obras de arte e cultura em geral, quanto para os que não curtem muito essa vibe, o ponto é que há alguns lugares que a visita é obrigatória para os locais, e mais ainda para turistas.

Tipo o quê? Quem nunca leu / ouviu falar da Casa da Anne Frank, do Rijksmuseum e do museu do Van Gogh? Ir a Amsterdam e não visitá-los é, tipo, ir em Paris e não entrar no Louvre.


Mapa do centro de Amsterdam - Fonte: I AMsterdam

Qualidade x Quantidade: como lidar?

Somos seres humanos e - graças a Deus! - pensamos diferente. Afinal, o que é legal para mim, pode não ser legal para você.
Como eu falei no início do post, o que é prioridade para mim, para minha amiga não foi (ou ainda não continua sendo).
Para uns, o pensamento é: quanto mais melhor! Sempre que me perguntam quantas cidades na Europa eu conheço, já ouvi muita gente, quando está montando uma viagem pelo velho continente, falando: "quanto mais cidades melhor, não é?" Bem, eu não penso dessa forma.
Todos os lugares que conheci, passei, no mínimo, dois dias, e posso afirmar, sem sombra de dúvida, que estou muito longe de ter explorado tudo o que eu queria de cada um deles. 
A Holanda, por exemplo, que eu morei alguns aninhos, eu conheço bem o país, mas estou longe de ter visitado tudo.
Minha prioridade é a qualidade. Por isso, leio e pesquiso bastante antes de ir para qualquer lugar. 
Sempre que vou a museus, passo hoooooooras dentro deles. Antes de visitar, eu estudo qual o acervo, seleciono os meus preferidos, mas não deixo de aproveitar todo o programa cultural, até porque em muitos lugares você paga para entrar, e não é barato, principalmente em Amsterdam.
Óbvio que para ter qualidade você precisará dedicar mais tempo para aquilo - tanto no pré-passeio, quanto durante o passeio.
 
Amsterdam - Fonte: Entretulipas
Tá, mas qual o ideal? Quais os museus de Amsterdam devo visitar e quantos eu devo visitar por dia?
O segredo está na preparação do seu passeio, tanto para você que prefere quantidade, tanto para você - que como eu - prioriza a qualidade.
Siga a regra: otimize seu tempo. Como? Vamos então para um passo a passo:

1-Quantos dias você tem na cidade? 

Sabe porque eu pergunto isso? Por dois motivos. Primeiro porque não dá para abraçar o mundo com as mãos e os braços. I'm sorry se você pensa que em um dia você vai conhecer muita coisa. Não se iluda, porque não vai. Dois dias, só para Amsterdam, é um começo - e tenho certeza de que você vai embora com o gostinho de que faltou algo, te garanto! Segundo porque tem muita coisa belíssima pertinho de Amsterdam para conhecer. Se você tiver muitos dias, vale a pena levar em consideração esse ponto. As cidade Zaans Schans, Haarlem, a praia de Bloemendaal são passeios ótimos e imperdíveis, pois ficam pertinho de Amsterdam. Se você tiver mais de 2 dias na cidade vale o passeio.
O parque das tulipas, o Keukenhof, também dá para ser visitado - que a gente já falou aqui no blog. Mas isso vai depender também do segundo ponto;

Keukenhof - Fonte: I AMsterdam

2-Em que estação do ano você vai visitar?

Preste atenção nos horários de funcionamento dos locais que você deseja visitar. No inverno, em todas as cidades da Europa (e Amsterdam não foge da regra), o horário de funcionamento dos lugares é reduzido. Então lembre-se dessa informação na hora de montar seu roteiro. A primavera é a melhor estação. Não que isso seja uma regra. Tem gente que acha o outono, tem gente o inverno, tem gente o verão. Eu aposto na primavera por ser a estação mais bonita (há quem discorde e fale que é o outono), com melhores temperaturas, não é alta estação e tem mais horas de sol.

3-Pode comprar o ingresso antes? 

Se possível (quase sempre é), priorize comprar o ingresso das atrações antes. Se não, leve em conta o tempo na fila para comprar os ingressos. A Casa da Anne Frank, por exemplo, dependendo do horário e do dia, são duas horas na fila desnecessárias, pois você pode comprar o ingresso online e ganhar tempo;


4-Identifique-se!

Calma! Não é falar os seus dados pessoais. Mas, é mais ou menos isso. Na hora de escolher os pontos a serem visitados, leve em conta os seus interesses. Conhecer os principais pontos turísticos é fundamental, mas o ideal é fazer coisas que te interessam. Se está em grupo, procure um meio termo, para que ninguém fique entediado.
Eu, por exemplo, não curto muito arte moderna. Quando estive em Londres fui com uma pessoa que super curtia, então fomos no Tate Modern (museu de arte moderna). Porém, fomos em salas específicas, que a pessoa que estava comigo já sabia o que queria ver, e para que eu não morresse de tédio. O ponto positivo é que não tive que pagar nada, mesmo não sendo do meu interesse, porque o museu é gratuito. 
Já na China, onde fui com meus pais, eu e minha mãe estávamos loucas para ver um panda. Fomos os 3 para o Zoo de Pequim, mesmo contra a vontade do meu pai. Nesse caso, a entrada não era gratuita, mas ele escolheu juntar-se a nós. Além de termos visitado os pandinhas (pagamos a mais para isso, e ele também - muito amor!!), fomos ver outros bichos também, mas ficamos menos tempo por causa dele.
Por isso é tão importante estudar o lugar antes, porque você sabe o que quer ver, e facilita, quando em grupo, entrar em comum acordo - ou, se preferirem, preparar-se psicologicamente;


Trams em Amsterdam - Fonte: I AMsterdam

5-Tempo de deslocamento

Na hora de montar o roteiro diário, leve em consideração também o tempo de deslocar-se de um local para o outro e o tempo que você vai ficar lá dentro da atração - que isso vai ser diretamente proporcional ao ponto anterior. Monte um roteiro pensando em lugares próximos, e isso você pode descobrir através de mapas (mesmo não sendo o maior especialista). Que tal utilizar meios de transporte para economizar tempo? Taxi é caríssimo, por isso, em Amsterdam, prefira os trams (bondes, em português). Eles te levam para qualquer lugar da cidade, e são um meio de transporte eficiente.
Quer se sentir um local, pelo menos por algumas horas? Alugue uma bicicleta! Só tenha o cuidado de respeitar as leis de trânsito, estacionar em locais corretos e, importantíssimo, trancar muito bem a magrela bike - para evitar a surpresa de ser roubado.
Bikes - Fonte: I AMsterdam
A quantidade de lugares a visitar por dia vai depender muito do tempo que você vai passar em cada lugar, o tempo de deslocamento, a estação do ano (frio ou calor, mais tempo aberto ou menos tempo), quantidade de pessoas que estão com você, etc.  Mas, uma média de 3 pontos turísticos por dia é ok para os que priorizam a qualidade do passeio;


DinhEUROS - Fonte: I AMsterdam

6-Prepare o bolso: é um investimento

Amsterdam é uma das cidades mais caras da Europa. Sim, também concordo que isso é . E, mesmo você se programando, correndo atrás dos descontos por comprar antes, ou visitando nos horários mais baratos, fazer programas culturais na cidade (e no país todo também) é bem caro. Existem alguns cartões que facilitam isso, que não deixam os passeios tããão caros assim. O museumkaart, por exemplo, dá o direito de você entrar em vários lugares do país gratuitamente, e é válido por um ano! Tem também o I AMsterdam card, que você pode comprar por dia. Qualquer um dos dois já vale a pena se você escolher visitar no mínimo 3 museus. Qual escolher vai depender muito do que você quer visitar e quanto tempo vai ficar. O IAMmsterdam card dá até para fazer passeio pelos canais da cidade de graça. Vê que legal?!
Pense que, mesmo sendo caro, é um investimento em conhecimento. E esse, meu amigo, te garanto que é o melhor da sua vida.

Ok! E aí, Nina, quais os museus que tu indica? O que eu não posso deixar de conhecer "dijeitonenhum"?
Eu não acredito que depois dessa lista todinha de dicas tu ainda me faz uma pergunta dessa!!
Ok,  no começo do post eu citei três lugares (Casa da Anne Frank, o Rijksmuseum e o museu do Van Gogh)  imperdíveis - e que, se você seguir todas as dicas que eu dei - olha o mapa -, você verá não dá para conhecer os 3 no mesmo dia. 
Para os que tem crianças, uma visita no Artis Zoo (que é incrível até para os adultos) e o Nemo, que é um museu de ciências (mais indicado para crianças maiorzinhas) é parada obrigatória.
Tem o museu de história judaica, tem o museu de fotografia, tem o museu da cidade de Amsterdam, tem o museu do diamante, tem o museu das tulipas, tem o Instituto de Filmes, tem igreja,... ixi.
Ó, clica aqui, e baixa um mapa bem completinho e atualizado do centro da cidade e monta seu roteiro. Só não esquece de colocar em prática as dicas.

Precisa de algo mais personalizado? Existe um serviço prestado por profissionais que conhecem bem os lugares. Eles conversam bastante com você, montam um roteiro personalizado para a sua viagem e você não precisa se preocupar com nada. Está procurando isso? Então entra em contato aqui que eu te passo o "caminho das pedras".

Você é daqueles que prefere quantidade? Então divide com a gente, na nossa página do facebook - curte lá, suas fotos passando/visitando os lugares. 




Gostou das dicas? Como você faz para montar seu roteiro?

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Levanta, sacode a poeira...e vem 2014!

Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima....


É com um samba que voltamos a ativa para tirar a poeira do blog. 
Ele não foi esquecido. Na realidade tivemos um ano muito corrido e bem sucedido, fruto de muito trabalho e estudo.
Comigo funciona muito a filosofia de metas. Se tenho um desafio,  ele deve ser cumprido.
2013 foi um ano muito difícil, mas que rendeu muitos frutos chamados aprendizados, e um ano de muitas alegrias, fruto de muitas conquistas.



Joguei para o alto um emprego que eu adorava, mas que me dava muita dor de cabeça por causa da minha chefe. Minha cardiologista me fez acordar que não há preço maior do que perder a saúde, seja por qual for o motivo. 



Amei cada projeto que desenvolvi na minha empresa, e cada vez mais estou mais apaixonada pelo que faço. My team rocks! 



Ri muito com minha mãe, e aprendi a dar mais valor ainda para os pequenos momentos.
Enfrentei de frente meu medo de dirigir,... e venci! 


Tive um aniversário incrível, rodeada de pessoas maravilhosas, em um fim de semana de muitos passeios e cercada das melhores energias possíveis. 


Poucas as vezes que senti uma dor tão grande quando passei dias e dias com o meu pai no hospital. O que importa, seja no início ou no fim, é o amor.


Foram longas horas sentada na frente do computador, lendo, estudando, lendo mais um pouco, escrevendo... As palavras não saíram diretamente para o blog, mas para a conclusão de uma importante fase da minha vida.




Eu senti falta do blog, e como eu senti... Minha forma de expressar meus sentimentos, de multiplicar minhas experiências. 
Esse ano foi uma oportunidade de multiplicar de uma forma diferente, deixando como legado uma ideia bacana, e que pode ser colocada em prática, assim como as viagens: com planejamento. 

Sorri. Chorei. Vivi.


Foram poucas as viagens com folgas para passeios, mas fazendo uma breve retrospectiva, começamos o ano no Chile....




Demos uma breve passada pela Argentina, para degustar um pouco dos seus vinhos e sentir a energia da cordilheira.




Fomos para o Rio algumas vezes (quase nenhuma a passeio, mas muitas a trabalho).


São Paulo foi quase uma segunda casa, mas deu para passear um pouco, me divertir no último dia da Rainha holandês, rever GRANDES e importantes amigos e comer bem.



Nas horas vagas foi a vez de fugir um pouco e conhecer algumas praias e locais aqui pertinho.



Viajei também pedalando na ciclofaixa, aos domingos.



Curti um pouco a praia.


Comi (DIVINAMENTE) bem .




Já sinto o cheiro, o sabor de 2014. Já sinto muitas energias positivas, sementes que já plantei sendo colhidas. Já consigo ver alguns sonhos realizados e algumas boas histórias para contar.


Como o nascer da primavera, os projetos irão desabrochar...

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Kerstmarkten Nederland: os mercados de Natal na Holanda


Haarlem, Holanda - Entretulipas
Ahhh, o natal! Uma das datas mais lindas do ano. A decoração, as luzes, as comidinhas... tudo é muito bom, mas o que mais me encanta é o espírito natalino. 
Eu não estou falando no consumismo desenfreado. Para mim o natal já começa com o Sinterklaas holandês, que esse ano coincidiu com a mesma data da celebração do Hanukkah, que é a festa das luzes, dos judeus. Tempo de agradecer por todas as conquistas, refletir sobre o ano e sobre a vida, aprender com os acontecimentos, sorrir mais ainda das coisas boas. Um presente, um cartão ou um abraço é o carinho, a forma de demonstrar o quanto aquela pessoa foi importante para o meu ano.

Os mercados natalinos são muito famosos nessa época do ano (claro, né?! O nome já diz que é natalino! Dã!) na Europa. O mercado mais antigo é o da cidade de Dresden, na Alemanha, datado de 1434.
Haarlem, Holanda - Entretulipas

Para quem não conhece, em geral, esses mercados são montados no centro das cidades, com uma decoração linda, com músicas natalinas, e têm barraquinhas que vendem artigos de decoração, roupas e guloseimas (Yumi!!) natalinas. É tudo tããão lindo! A maioria são abertos, mas sempre tem uma barraca que vende umas bebidinhas quentinhas - não se esqueçam de agasalhar-se bem. Os que são fechados cobram um valor para entrar, que varia muito de mercado para mercado, mas não é caro.

Na Holanda o mais famoso é o da cidade de Valkenburg, pertinho de Maastricht, no sul do país. O que é massa desse mercado é que são dois mercados dentro de uma caverna! 
Uma das cavernas se transforma na casa do Papai Noel, com direito a duendes e tudo mais; e a outra é o mercado em si, onde você pode comprar coisinhas. A entrada em ambos os lugares é paga. 
No site do mercado tem todas as informações, inclusive como horário de funcionamento e preços.

No dia 21, às 19h30, terá um desfile natalino, com luzes e dançarinos, no centro da cidade.

Veja a programação completa aqui.

Nesse link há uma lista dos mercados natalinos da Holanda. Há alguns que só funcionaram no fim de semana passado (14 e 15 de dezembro de 2013), mas há outros que irão até o dia 28 de dezembro. Ou seja, ainda dá tempo de conhecer algum.

A Dri Miller falou do Winter Wonderland, em Londres. Eu achei super bacana quando eu visitei em 2008. Já a Rapha Aretakis contou sobre a sua experiência no Mercado em Paris.
Winter Wonderland, Londres, 2008 - Entretulipas
Opções não faltam para curtir essa data tão linda. Basta entrar no clima e curtir.

Um natal de muita luz e alegrias para vocês!
Vrolijk Kerstfeest ;)

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Promoção passagens aéreas KLM

A KLM, empresa aérea holandesa, está com uma excelente promoção de passagens vindas da Holanda para o Brasil. 
If you are in the Netherlands, this is a great opportunity to visit Brazil! Check the KLM deals to fligh from Amsterdam to 5 brazilian cities and run away from the dutch winter!

Vejam as ofertas:

Amsterdam - Rio de Janeiro: € 497
Amsterdam - São Paulo: € 497
Amsterdam - Porto Alegre: € 506
Amsterdam - Salvador: € 606
Amsterdam - Belo Horizonte: € 606

As condições são (Conditions)
*Mínimo de 2 bilhetes (minimum of 2 tickets);
*Para compras feitas até 20 de dezembro, para voar até 31 de março de 2014 (you have to buy tickets till december 20th and fly till march 31th);
*Os preços são a partir dos valores acima, e não estão inclusas as taxas (prices excluding taxes).

Reforçando, os valores são de passagens Holanda - Brasil!
Para ver mais informações e comprar os bilhetes, clique aqui.

Algumas promoções Brasil - Europa, também pela KLM.
Rio de Janeiro ou São Paulo - Amsterdam: a partir de U$ 999 (+ taxas)
Mais, clique aqui.


Falando nisso...


Tem um post bacana aqui no blog sobre a nossa experiência voando KLM na classe executiva.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Praia Sem Barreiras: agora sim a praia está acessível a todos.

Admiro iniciativas como essa, e confesso que já deveria ter falado a respeito aqui no blog a muito tempo, mas estava esperando a oportunidade de ver de perto. Foram muitas curtidas na nossa página do face, quando eu postei a foto (tá vendo que lá tem muita coisa legal?!), e eu achei que o assunto valia um post, até porque informação sempre é muito importante!

O departamento de Turismo de Pernambuco criou um projeto fantástico para facilitar o acesso a pessoas com dificuldade de locomoção e deficientes visuais a algumas praias de Pernambuco. Capacitação de pessoas, disponibilização de cadeiras anfíbias e instrutores para acompanhar, instalação de rampas de acesso com corrimão, esteiras na areia, vagas de estacionamento especiais, paradas de ônibus adaptadas e etc foram alguns dos investimentos feitos para dar a oportunidade a uma galera super especial a ter uma experiência fantástica - que, incluive, alguns deles nunca tinha tido a oportunidade: entrar no mar!

A inauguração do projeto em Fernando de Noronha - Fotos: João Rocha - G1

A primeira praia pernambucana a receber investimentos do projeto foi a praia Sueste, na ilha de Fernando de Noronha. Uma esteira de acesso ao mar de 30 metros e quatro cadeiras de rodas anfíbias poderão ser encontradas na praia, onde também fica o Posto de Informação e Controle, da Eco Noronha. Os visitantes são acompanhados por oito profissionais da  Eco Noronha qualificados para o banho assistido, que acontece todos os dias, das 8h às 18h. Uma outra novidade é que os Mirantes dos Golfinhos e do Sancho também foram adaptados para receber a todos, com rampas e esteiras. Agora a vista da praia mais bonita do Brasil não se restringe a poucos.

Já no Recife, a inauguração teve jogo de vôlei com o Governador de Pernambuco, Eduardo Costa - Foto: Bobby Fabisak - JC Online

Rampa de acesso no Recife - Fotos: Bobby Fabisak - JC Online
Em Recife também foram construídas 11 rampas, sendo cinco na Avenida Boa Viagem, foi colocado um piso portátil – utilizado para orientar deficientes visuais, vagas de estacionamento para deficientes foram reservadas, na Avenida Boa Viagem, bem como a colocação de corrimão em aço na rampa de descida e escadaria de acesso à areia da praia. 35 barraqueiros do entorno onde o projeto está instalado foram capacitados pela secretaria. Dois quiosques já receberam orientações sobre acessibilidade, além de um cardápio em braile.

Porto de Galinhas
Porto de Galinhas - Foto: Deborah Ghelman- DP
Rampas de acesso, esteira azul e sinalizações em Porto de Galinhas - Foto: Entretulipas

Chuveiro adaptado em Porto de Galinhas - Foto: Entretulipas

Quatro cadeiras anfíbias, uma esteira de acesso ao mar de 10 metros de comprimento e quatro profissionais da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Rodas da Liberdade, capacitados para o banho assistido, fazem parte do projeto em Porto de Galinhas, que oferece os serviços acima gratuitamente. As pessoas que visitarem o local também podem desfrutar de um passeio de jangada adaptada com cadeiras anfíbias (R$ 15).  O projeto só funciona na maré baixa (confira a tábua das marés aqui) de quinta a segunda-feira.
Empetur (Empresa Pernambucana de Turismo) promoveu um treinamento para jangadeiros, garçons do restaurante Peixe na Telha (que fica bem próximo ao local de acesso dos cadeirantes ao mar), salva-vidas e para a equipe de mergulho.

Quiosque de apoio  em Porto de Galinhas - Foto: Entretulipas
Massa, né?! Eu achei arretado, e iniciativas como essa deveriam acontecer no Brasil todo. Tá sabendo de algum lugar que tenha algo parecido? Então divide aqui com a gente!


Já curtiu a nossa página no facebook? Clique aqui e acompanhe dicas e novidades diariamente por lá.